O que é Matriz CSD? Aprenda como usar essa ferramenta de inovação!

O que é Matriz CSD?

 

A Matriz CSD é um método utilizado para iniciar projetos. Sua sigla significa Certezas, Suposições e Dúvidas.

 

Seu objetivo é justamente reunir todas as certezas, suposições e dúvidas entre os membros da equipe para que todos estejam cientes das informações disponíveis.

 

e-book métodos ágeis

Clique na imagem para baixar o e-book Metodologias Ágeis, ou aqui.

 

Leia também: Conheça metodologias e ferramentas úteis para startups

Leia também: Programas de inovação: aprenda a implementar em sua empresa

 

Ferramentas de inovação para desenvolvimento de projetos

 

Quando um projeto tem início, dúvidas e questionamentos sobre como realizá-lo surgem em profusão.

 

É normal, faz parte, e tudo isso deriva de N fatores: briefings incompletos, equipe com percepções diferentes etc.

 

Para que a pluralidade de visões – que é super bem-vinda, diga-se – não se perca em horas e mais horas de discussões pouco objetivas, a matriz CSD é uma excelente ferramenta para se focar no que realmente interessa!

 

O que é, exatamente, a Matriz CSD?

 

Ao pé da letra, CSD significa Certezas, Suposições e Dúvidas.

 

Dito isso, uma matriz CSD elenca todos os pontos de atenção do projeto, o que no fim das contas se traduz numa concentração bem maior da equipe.

 

A ferramenta é ostensivamente utilizada no início dos projetos, e basicamente divide-se em 3 atos: em uma coluna, a equipe anota suas CERTEZAS; noutra, suas SUPOSIÇÕES e, na terceira, ressalta suas DÚVIDAS. 

 

Na sequência, faz as perguntas:

·       O que JÁ SE SABE sobre o projeto?

·       O que SUPOMOS saber sobre ele?

·       Quais nossas DÚVIDAS e quais PERGUNTAS devemos fazer?

 

Não há censura, toda e qualquer dúvida, sobre qualquer aspecto do projeto é bem-vinda. Quanto mais rico for o retrato do projeto para a equipe, mais rápido ela visualizará o que já absorveu e o que ainda falta absorver!

 

Vale pontuar que a Matriz CSD não é estática; ela pode e deve ser usada no decorrer de todo o projeto, mostrando mudanças e avanços, bem como algumas das dúvidas que já foram esclarecidas.

 

Como usar a matriz CSD na prática

 

Matriz CSDA Matriz CSD é super democrática, podendo ser usada tanto pelos que fazem trabalhos solo quanto por aqueles que executam projetos em equipe – sejam de que áreas forem.

 

Tecnicamente, uma Matriz CSD consiste em se criar (numa folha de papel, lousa, post its ou em plataformas digitais como Trello ou Miro) três colunas simples, com certezas, suposições e dúvidas.

 

A premissa básica é a de se escrever tudo que venha à mente sobre o projeto. Um brainstorm sem filtro.

 

Veja o exemplo:

·       Verdades absolutas devem ser colocadas na coluna de Certezas

·       Se existirem opiniões diferentes sobre o mesmo assunto, a descrição vai para a área de Suposições

·       A coluna de Suposições evita longa discussões demoradas, permitindo que a equipe se concentre diretamente nos focos

·       A coluna das Dúvidas se refere a tudo que é, digamos, desconhecido no projeto

 

Todas essas colunas, sem exceção, são preenchidas com informações ou perguntas sobre o projeto. Podem ser, por exemplo, sobre ​​o alvo, motivações, desejos, objetos, processos, aspectos comerciais, dentre outros.

 

Tenha em mente, também, que argumentação e consenso são menos importantes do que a diversidade. Portanto, se houver divergências em relação a um determinado ponto, deve-se optar por incluir todas as opiniões.

 

O objetivo principal ao se usar a Matriz CSD, via de regra, é o de somar o maior número possível de diferentes perspectivas.

 

Para além disso, ela deve ajudar a promover a boa gestão da informação, bem como o conhecimento entre todos os membros do projeto.

 

Luis Alt, um dos criadores da Matriz CSD, afirma que a coluna de suposições desempenha papel fundamental quando surge alguma divergência surge:

 

“O  campo suposições, é, na verdade, uma grande área de escape, que evita discussões demoradas e inúteis e nos permite avançar na externalização das informações. O importante nesse caso é que tudo o que foi discutido esteja no espaço compartilhado e que todos também consigam visualizar tudo o que foi discutido ao final da reunião.”

 

Anotações de qualquer aspecto do projeto devem constar da Matriz CSD. Em algum momento, certamente, podem ser válidas para o seu desenvolvimento.

 

Outra dica importante: retorne periodicamente à Matriz, alimentando-a com os novos achados do grupo.

 

Promova, também, conversas com pessoas de fora da equipe. Isso pode contribuir, e muito, com a ampliação das percepções ao longo do projeto.

 

Em resumo, a Matriz CSD é uma excelente alternativa para explorar situações e contextos diversos. Quando colocamos no papel as certezas, as suposições e as dúvidas mensuramos muito melhor como trabalhar cada uma delas!

 

Ganhos reais da matriz CSD

 

Antes, as dúvidas e as suposições ficavam meio no ar, e não eram compartilhadas entre todos. Resultado? Erros e atrasos! Pois bem, com a Matriz CSD, tudo pode ser compartilhado e solucionado em conjunto. E em tempo mais do que hábil!

 

Quanto mais multidisciplinar for a equipe, maior serão o leque de anotações e as possibilidades de os setores interagirem e cooperarem mutuamente.  

 

Um dos maiores ganhos gerados pela Matriz CSD é o de sanar dúvidas com o cliente, sobre alguns pontos que ainda estão na condição de “suposições”.

 

Assim, alinhando as ideias, pode se evitar erros por divergência de pensamentos/entendimentos entre o próprio cliente e a equipe.

 

A organização das certezas é mais um ganho, pois faz a sintonia fina do entendimento geral sobre o projeto, deixando todos bem mais seguros e bem mais distantes das famigeradas “certezas equivocadas”.

 

Vantagens da matriz CSD

 

A síntese de uma Matriz CSD é bem clara: dar o pontapé inicial em projetos, agilizar os processos e fazer as coisas acontecerem!

 

Com ela, os horizontes sobre um determinado tema se abrem bastante.

 

Gerindo o conhecimento e centralizando as informações, tudo fica mais claro para todos! Qual a maior vantagem? A conciliação de visões distintas e a definição cirúrgica das prioridades

 

Mais segurança à equipe, menos certezas equivocadas e a ratificação do que ela já sabia: três dos principais pilares de uma Matriz CSD!

 

Imersão é a dica! Entrar a fundo no dilema, e o analisar sob todos os aspectos. 

 

Mais que uma dica, a imersão é a chave de uma boa CSD. Quando se mergulha pra valer em todos os aspectos de uma questão a ser resolvida, a gente compreende integralmente as dimensões e os impactos de tudo que a cerca. Seja essa questão relativa a um problema, um serviço, um produto ou mesmo a um setor da empresa.

 

No radar, e sempre, deve estar a resolução da problemática, tanto do ponto de vista da empresa quanto do ponto de vista do cliente.

 

Há que se levar em conta, também, as experiências e as expectativas de todos.

 

E nunca é demais lembrar que existem diversas técnicas que podem ser aplicadas ao processo, tais como informações sobre os sentimentos e viés de pensamento dos seus clientes.

 

Ampliar as perspectivas, via inclusão de pontos de vista variados.

 

Focada e diversificada, uma Matriz CSD promove novas certezas, ao mesmo tempo que dá forma às novas dúvidas e suposições. Na exata medida em que permite a remoção ou a modificação das antigas.

 

Elas sempre existirão, mas é para frente que se anda. E é para sua empresa evoluir que a Matriz CSD está aí, ao alcance das suas mãos e objetivos!

 

Concluindo e evoluindo com a matriz CSD!

 

Ferramentas como a Matriz CSD facilitam sobremaneira o processo, podendo ser aplicadas no fluxo de trabalho, agindo como verdadeiros recursos de respostas e desenvolvimento de projetos.

 

Versáteis, elas resolvem problemas, buscam soluções e permitem navegar por raciocínios divergentes, criando novas possibilidades, reduzindo riscos, administrando incertezas e, sobretudo, proporcionando campo fértil para a inovação!

 

CSD, três letras de câmbio para melhor.

 

Adicionar um comentário


Comentários

Nenhum comentário